GIM-TÔNICA. UMA MISTURA COM HISTÓRIA

História da água tônica

A água tônica tem sua origem com a realiza espanhola. Data o ano de 1638, quando a Condessa de Chinchon, esposa do vice-rei espanhol que estava no Peru, adoeceu contraindo malária.

Os índios, conhecedores das plantas medicinais, prepararam uma poção feita com a casca de uma árvore chamada Kina (nome indígena), resultando na cura da nobre europeia. Posteriormente, a árvore foi batizada de Cinchona em homenagem à condessa.

Cabe ressaltar que essa é uma versão da descoberta da quinina, não tendo confirmações documentais se foi a primeira, entretanto tem o charme da “realeza”.

A água tônica, como conhecemos, surgiu na Índia, no período colonial do Império Britânico. Os ingleses levaram a fórmula para as fábricas de refrigerantes na Inglaterra, que foi patenteada no ano de 1858.

História do Gim

Já o seu par perfeito, o gim, com poucos adeptos no Brasil, pode ser considerado um irmão da vodca, só que com uma personalidade mais marcante. A produção é bem similar à da sua parente mais popular: cereais como trigo, cevada e milho são fermentados para chegar num mosto de baixo teor alcoólico que é destilado para chegar ao líquido neutro e com alta graduação de álcool (90%). Daí pra frente é que começa a diferença.

Segundo o livro o Essencial e Cervejas e Destilados (ed. Senac), a fama é inglesa, mas origem do gin vem da Holanda. No século XVII (1650), o médico e professor, Francisco de La Boie, conhecido como Sylvius, pesquisava um remédio diurético que amenizasse problemas renais. Para isso juntou o zimbro ao destilado de cereais e fez o que mais tarde seria conhecido como gim. O nome é nada mais que uma corruptela das variantes genever (zimbro em holandês), genievre (no francês) e ginepro (em italiano). Sendo a Itália e sua Toscana, a principal região produtora de zimbro.

O casamento perfeito

O gim-tônica (português brasileiro) ou gin tónico (português europeu) é uma bebida alcoólica que surgiu com a necessidade dos soldados ingleses consumirem quinino para evitar a malária. Como o tônico com quinino era muito amargo, os soldados adicionavam gim para torná-lo mais palatável.

Atualmente é bastante difundido no mundo, especialmente no Reino Unido e com forte tendência de crescimento no Brasil, consiste na mistura de gim, água tônica e lima, em variadas proporções.

 

Confira a receita e beba com moderação.

(não recomentado para menores de 18 anos)

INGREDIENTES

¼ de xícara (chá) de gim

⅔ de xícara (chá) de água tônica Sarandi

2 rodelas de limão (ou lima). Se for usar limão de preferência para o limão-siciliano

gelo britado a gosto

 

MODO DE PREPARO

Coloque uma rodela ou um gomo de limão-siciliano (ou lima) no fundo de um copo alto (tipo long drink).

Compartilhe

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email

Deixe seu comentário